Ministério Público pode interditar Ninho do Urubu

Paulo Chagas

, Destaque, Flamengo

A comitiva de crise do Flamengo se reuniu com autoridades do Estado do Rio de Janeiro, na tarde desta segunda-feira (11). O grupo, liderado pelo presidente do clube, Rodolfo Landim, esteve no Ministério Público para apresentar documentos do centro de treinamento Ninho do Urubu, que sofreu incêndio, na última sexta-feira (08).

Além de diretores rubro-negros, a reunião contou com a presença de diversas autoridades da Prefeitura e do Estado do Rio. Lideranças da Defensoria Pública, Ministério Público, Defesa Civil, Ministério Público do Trabalho, Secretaria Estadual de Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros estiveram no local. Além disso, representantes do município também foram à reunião.

De acordo com o procurador-geral do Ministério Público do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem, o órgão irá ao Ninho do Urubu para realizar uma perícia no Centro de Treinamento. Logo depois da inspeção será definido se haverá interdição parcial ou total do local. Eduardo afirmou que os danos da tragédia são irreparáveis. Entretanto, é preciso evitar que novas tragédias ocorram.

“A partir de amanhã, faremos perícias amplas no CT do Flamengo, para que possamos analisar em que condições se encontra o CT e se há necessidade de interdição plena ou parcial do local de trabalho. É um dano irreparável. Mas há também o aspecto preventivo, para que novas tragédias como essa não ocorram. Vamos verificar a legalidade trabalhista desses atletas. Assim como o ambiente de trabalho desses trabalhadores”, disse Eduardo Gussem.

Presidente afirma que prioridade é atender famílias

Presidente do Flamengo, Rodolfo Landim

Rodolfo Landim afirmou que a prioridade do grupo era amparar famílias de vítimas (Foto: Thayuan Leiras | Globoesporte.com)

O Flamengo deve se reunir novamente com o Ministério Público na próxima sexta-feira (15). De acordo com o presidente do clube, Rodolfo Landim, o objetivo do clube foi dar assistência às famílias das vítimas do incêndio. O mandatário rubro-negro afirmou que o Flamengo pretende indenizar as vítimas assim que possível. Além disso, Landim quer que a Defensoria Pública do Rio seja mediadora do contato entre clube e familiares.

“O foco principal, no primeiro momento, foi dar assistências aos familiares do acidente. Foi isso que fizemos, não poupamos esforços e recursos para minimizar a dor e sofrimento das pessoas. Falamos da nossa vontade de indenizar essas famílias o mais rápido o possível. Queremos usar a Defensoria Pública para que faça algum tipo de mediação. É do nosso interesse resolver isso da melhor forma e da forma mais rápida o possível”, afirmou Rodolfo Landim.

O Centro de Treinamento George Helal, o Ninho do Urubu, sofreu um incêndio por volta das 5h, horário de Brasília. De acordo com testemunhas um dos ares-condicionados do alojamento das categorias de base pegou fogo, consumindo todos os quartos. 10 pessoas morreram e outras três ficaram feridas.

Sobrevivente de incêndio no Ninho do Urubu recebe alta