Ataque do Fluminense é o melhor dos últimos oito anos

Filipe Carbone

, Fluminense

Recorde e feito histórico na Copa do Brasil e classificação segura na semifinal do Carioca. O início de ano do Fluminense tem sido empolgante para os torcedores, como há muito não viam. Quando o assunto é bola na rede o Fluminense já aparece com 17 gols marcados e três sofridos em 2019. O número é o melhor da equipe tricolor nos últimos sete anos.

A estatística da força do ataque chama atenção devido à carência de gols no fim da última temporada. A equipe já balançou a rede 12 vezes no Campeonato Carioca e cinco vezes na Copa do Brasil em apenas uma partida. Com o ataque e a defesa em equilíbrio, os torcedores tricolor não ficavam tão felizes desde 2011.

Naquele ano, sem dúvidas, o ataque não era uma preocupação para a torcida no início da temporada: foram 19 gols nas seis primeiras partidas da temporada. Apesar disso, o clube levou nove gols dos clubes de menor expressão do Rio de Janeiro durante o Carioca. Nem em 2012, ano em que conquistou o Campeonato Brasileiro, o Flu conseguiu um começo tão promissor.

Embora a temporada ainda esteja no início, os tricolores sentem calafrios quando lembram dos míseros dois gols marcados nas últimas dez partidas do Brasileirão. E esse pareceu ser um dos principais problemas do tricolor na competição.

Em 38 jogos o Fluminense balançou a rede apenas 32 vezes, uma média de 0.8 por partida. Além disso, sofreu 46 gols por jogo, uma média de 1.2 gols. Ou seja, em uma média de toda a competição, o Fluminense mais levou gols por partida do que marcou.

O segredo do técnico

Jogadores comemoram vitória sobre o River-PI

Ataque do técnico Fernando Diniz mostra força no início da temporada. (Foto: Lucas Merçon | Fluminense)

Após a vitória contra o River-PI, Fernando Diniz afirmou que os treinamentos têm sido bem feitos. Mesmo assim, o técnico colocou os pés no chão e não se deixou levar pela empolgação.

“Sabemos que a medida que você pega adversários mais difíceis vai encontrando defesas melhor postada. A tendência é que a gente encontre mais dificuldade, mas acredito que vamos ficar mais eficientes com mais treinamento”, disse.

Verdadeiro teste

É verdade que o ataque do Fluminense não conseguiu ser produtivo no único teste que teve até o momento. O time encontrou grandes dificuldades de infiltrar na defesa e sair da boa marcação do Vasco na partida deste fim de semana. Com isso, na única partida em que o tricolor não balançou as redes, perdeu o jogo por 1 a 0.

A partida contra o Flamengo no sábado pela semifinal do Carioca vai colocar a eficiência do ataque tricolor à prova. Ao contrário do primeiro clássico, o Fluminense vai encontrar um time melhor organizado e que conta com um ataque eficiente. Apesar de ter a segunda pior defesa entre os grandes, o rubro-negro vem mostrando um poder de finalização tão grande quanto o do Fluminense.

Em suma, o tricolor terá apenas 90 minutos para mostrar que o trio ofensivo formado por Luciano, Everaldo e Yoni González  realmente funciona. Será a chance de provar para o torcedor que a empolgação com o início de temporada não é injusta e que a afobação em bons resultados e gols não é precipitada.

Ex-técnico de Ganso defende novo camisa 10 do Flu: “Ele não é lento”