Fluminense empresta “parça” de Pedro para clube da Série B

O Fluminense emprestou o jovem atacante Matheus Pato, de 23 anos, ao Cuiabá, até o final da temporada. Ele é formado nas categorias de base e não estava nos planos do técnico Fernando Diniz.

Matheus Pato nunca atuou pelos profissionais do Fluminense. Em 2015, após ser promovido por Cristóvão Borges, o jogador não conseguiu não se firmar no elenco principal. Na época, tinha concorrentes experientes por uma vaga no ataque: Fred, Magno Alves, Osvaldo, Walter e Wellington Paulista.

O ex-técnico do Fluminense tinha planos de utilizar o atacante naquela temporada, mas o atleta voltou para o time Sub-20. Comandado por Luiz Felipe Santos, o jogador foi uma das estrelas do time tricolor na conquista do Campeonato Brasileiro da categoria.

O atacante também chamou a atenção de Eduardo Baptista, Levir Culpi e Abel Braga, no período em que os treinadores estiveram no Fluminense entre 2016 e 2018. No entanto, com muitas opções no ataque o jovem formado em Xerém não conseguiu conquistar espaço.

Atacante foi a grande dupla de Pedro na base do Fluminense

Matheus Pato em ação pelo STK Samorin

Matheus Pato atuou por três temporadas pelo STK Samorin (Foto: Divulgação | STK Samorin)

Nas categorias de base do Fluminense, Matheus Pato atuou como meia, ponta e centroavante. Ele foi a grande dupla de Pedro, antes do atual camisa 9 tricolor, se tornar na maior revelação do clube nos últimos anos. Por isso, a diretoria ampliou o contrato para blindar o atleta do assédio de gigantes europeus como Barcelona (ESP), Milan (ITA) e Manchester United (ING).

Ainda garoto, chegou a ser emprestado ao Benfica, de Portugal, mas sem sucesso retornou ao Brasil. Foi reintegrado ao profissional em 2016, mas no mesmo ano foi cedido ao STK Samorim, filial do Fluminense, na Eslováquia. Por lá, fez 32 jogos e marcou 15 gols nas três temporadas que disputou na segunda divisão eslovaca. Nesse ínterim, o jogador teve uma passagem sem brilho pelo Tupi (MG) onde entrou em campo 15 vezes e balançou as redes em três oportunidades.

As escolhas erradas de Ganso