As escolhas erradas de Ganso

Paulo Henrique Ganso é um jogador diferenciado, acima da média e têm leitura de jogo que gosto demais. Mas nos últimos tempos o projeto de camisa 10 da Seleção Brasileira fez escolhas erradas. Um caso clássico de péssimo gerenciamento de carreira. Não sei em qual momento se perdeu, mas sei que Ganso jogou fora um futuro promissor, fez o que quis com a carreira que estava em ascendência. A escolha errada não o levou a lugar nenhum.

Ganso foi um fracasso no Sevilla e deixou o Amiens pela porta dos fundos. Ele perdeu prestígio, dinheiro, idolatria, espaço no futebol, além de acumular críticas ao longo da sua curta trajetória europeia.  O jogador abriu mão do status de craque do São Paulo para defender um clube mediano, o Sevilla, em busca de projeção para um grande clube europeu. A falta de dinamismo o afastou do Barcelona, Bayern de Munique, Juventus, Manchester United, Milan, Paris Saint-Germain e Real Madrid. O jogador, inclusive, nunca demonstrou abalo por ser desprezado pelos grandes clubes da Europa.

Ganso tem uma canhota impressionante, mas a falta de vibração e atitude em campo, motivos que o perseguiam no São Paulo, se tornaram insuportáveis na Espanha. Por lá, ficou sem o lobby da imprensa que o rotulou como uma das piores contratações da história do Sevilla. Ele não se adaptou ao estilo de jogo pensado por Jorge Sampaoli. Foi escalado mais recuado, jogando como segundo volante, mas com liberdade para atacar. O técnico argentino desistiu definitivamente do jogador. Ganso, no entanto, se acomodou com a reserva. Recusou propostas enquanto esperava por uma nova oportunidade. Entretanto, Sampaoli queria o jogador longe do clube.

Fique você sabendo…

Ganso em ação pelo São Paulo

O São Paulo foi o último clube de Ganso no Brasil (Foto: Divulgação | São Paulo)

Ganso esnobou os clubes brasileiros na última temporada. Recusou propostas de Flamengo, Grêmio, Internacional, Santos e São Paulo. O técnico Renato Portaluppi, inclusive, o queria como camisa 10 do Tricolor Gaúcho na Copa Libertadores da América de 2018.

Rejeitou ofertas do Estoril, do Portugal, Genoa, da Itália, além do Nantes, da França. Nesse ínterim, não quis nem conversar com o América, do México, Orlando City, dos Estados Unidos e Trabzonspor, da Turquia. A maioria dos clubes o queria por empréstimo, mas o Sevilla se negou a pagar a metades dos salários. Ganso não quis “dar um passo para trás”.

Ganso é um sujeito esquisito. Vive em uma dimensão paralela e parece ter criado um mundo só para ele. Foge da imprensa como o diabo foge da cruz, mas não admite publicamente  que não gosta de conceder entrevistas. Aliás, está exercendo o seu direito de não querer se expor na mídia. No entanto, tem dificuldade para reconhecer para os jornalistas que a sua carreira está à beira um “fakenews”.

O que espero de Ganso no Fluminense?

Ganso foi anunciado como reforço através das redes sociais do Fluminense

Ganso assinou contrato de cinco temporadas com o Fluminense (Foto: Divulgação | Fluminense)

Fernando Diniz mostrou neste início de temporada que é possível ganhar com um jogo ofensivo, futebol de marcação forte e revezamento constante de jogadores. Foi ao Fluminense sabendo de todos os problemas estruturais e financeiros. Montou um bom time para jogar o inexpressivo Campeonato Carioca.

Ganso chega ao clube para recuperar o futebol que o levou a Seleção Brasileira, mas é lento e pouco participativo no jogo coletivo. É improvável que dê certo e tem tudo para virar um mico no Fluminense. Claro que torço demais para que ele dê certo. Torci muito quando o nome dele foi publicado aqui no Esporte 24 Horas. E agora, nesta aventura no Fluminense, vou torcer novamente, mesmo achando que não vai dar certo. É praticamente impossível vê-lo tendo sucesso no Fluminense. Ganso não tem pele tricolor.

CURTINHAS:

Neymar e Ganso juntos na concentração da Seleção Brasileira

Neymar e Ganso atuaram juntos no Santos e na Seleção Brasileira (Foto: Divulgação | CBF)

DO FUNDO DO BAÚ: O técnico da Seleção Brasileira, Dunga, foi o responsável por deixar Paulo Henrique Ganso de fora da Copa do Mundo. O jogador adiou uma artroscopia para disputar o Mundial da África do Sul, em 2010. Porém, o atleta foi preterido pelo treinador junto com o seu “parça” Neymar.

PLANTÃO MÉDICO: Aos 22 anos, Ganso, foi submetido a três operações nos joelhos. Além de ter sofrido uma série de lesões musculares no período em que defendeu o Santos. Em 2011, por exemplo, disputou 62% dos jogos do clube.

FOGO AMIGO: Parte da imprensa paulista considerou Ganso como o jogador de mais recursos que Neymar. Logo após ganhar destaque, entrou no radar de Barcelona e Real Madrid, que desejavam contratar o “novo” Zidane. No entanto, o jogador não conseguiu se transferir para um grande clube europeu.

RETORNO BAIXÍSSIMO: No Sevilla, Ganso tinha um salário de R$ 700 mil livres e sem impostos. Além de luvas e premiações por metas atingidas. Entre 2016 e 2018, disputou apenas 28 jogos e fez sete gols. Nesta temporada, vestiu a camisa do Amiens em 13 oportunidades.

ESTAMOS DE OLHO: Em 2016, após entrar em litígio com o São Paulo, Ganso confirmou que seria interessante defender o Corinthians. Foi o suficiente para a relação azedar. Não havia mais clima para seguir no Tricolor Paulista. Dias depois, após “cavar” transferência para o Santos, o jogador foi negociado com o Sevilla.

O que podem esperar Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco em 2019?