Jovem zagueiro alvinegro quer aproveitar brecha de Igor Rabello

Gustavo Cunha

, Botafogo

O zagueiro Helerson, destaque da base do Botafogo, foi promovido ao time principal no ano passado. No entanto, não teve a oportunidade de ir a campo com a camisa Alvinegra. O defensor de 1,90m, chamou atenção nas categorias inferiores por sua segurança e técnica. O atleta segue no elenco profissional e vem realizando a pré-temporada no estádio Nilton Santos. Com a saída de Igor Rabello, o jovem de 21 anos espera aproveitar a chance para jogar o máximo possível e afirmou estar preparado para quando for solicitado pelo técnico Zé Ricardo, que já o elogiou em outras oportunidades.

“Os treinos estão sendo bem interessante, bons. Com essa brecha deixada pelo Rabello, eu pretendo aproveitar bastante e jogar o máximo possível. Creio que eu tenho possibilidade de jogar, mas ainda não tem nada definido. Espero a oportunidade e se ela chegar estarei preparado”, declarou ao site oficial do clube.

Adaptação

Helerson durante treino do Botafogo

Em 2018, Helerson entrou no radar do Estoril, de Portugal (Foto: Vitor Silva | Botafogo)

É normal que jogadores vindos da base demorem um tempo para se adaptarem ao ritmo dos profissionais. Helerson pontuou que já se acostumou com esta transição e está ambientando com a metodologia de trabalho de Zé Ricardo.

“Não cheguei a conversar com ele (Zé Ricardo) particularmente, mas gosto muito dos trabalhos. A dinâmica é muito parecida do que tinha na base e estou familiarizado com o ritmo dos treinos. Sou mais tranquilo, reservado e na minha. Mas quando a gente entra em campo, temos que mudar um pouco, sair da rotina. Bate sim um frio na barriga e estou esperando essa oportunidade faz muito tempo. Estou me preparando o máximo possível, para quando ela chegar, eu representar bem”, disse.

Inspiração

Na base, Helerson jogou com alguns atletas que já figuraram ou ainda estão na equipe titular dos profissionais. O jovem zagueiro disse se espelhar no início dos companheiros. O jogador destacou que se inspira em Thiago Silva, quem considera um dos melhores do mundo, e no Botafogo, em Marcelo.

“Na base do Botafogo eu conquistei alguns títulos junto com os meus amigos. O Yuri, que foi emprestado agora, o Bochecha, Matheus Fernandes, o Marcinho. Procuro muito me espelhar no começo deles. Na minha posição, me espelho no Thiago Silva, um dos melhores do mundo, e aqui no Botafogo, me inspiro no Marcelo. Já tinha falado em outras entrevistas, sou fã e gosto muito de jogar com ele”, encerrou.

Joia da base é preparada para substituir Igor Rabello no Botafogo