Desistência do Fla por Bruno Henrique – Fato ou blefe?

“O Flamengo não tentará mais a contratação do Bruno Henrique…”. Assim como era esperado, a declaração de Marcos Braz gerou efeitos lá na Vila Belmiro. No primeiro momento, a informação causou estranheza. Posteriormente, os dirigentes santista definiram o pronunciamento do rubro-negro como blefe. Aliás, de acordo com os paulistas, há motivos concretos para encarar a desistência como um ato de pressão.

Segundo informações do site A Tribuna, Santos apresentou uma contraproposta ao Flamengo, na última segunda-feira. Nela, o presidente do Santos, José Carlos Peres, pediu R$ 28 milhões mais os empréstimos por uma temporada do armador Jean Lucas, de 20 anos, e do volante Ronaldo, de 22. Ainda não há como saber o “time” das ações. Pode ser que a declaração de Marcos Braz seja um ponto final na negociação. Por outro lado, o Alvinegro paulista pode ter enviado a oferta após o manifesto do dirigente rubro-negro.

O fato é que ninguém do Flamengo procurou a cúpula alvinegra. Seja para recusar, aceitar ou sequer conversar sobre a contraproposta. A única manifestação rubro-negra sobre o assunto foi feita por meio da imprensa, durante a coletiva de apresentação de Arrascaeta, no Ninho do Urubu. No entanto, a contratação de Bruno Henrique foi um pedido especial de Abel Braga. O treinador, aliás, tinha planos de montar uma equipe que se encaixasse nas característica do atacante. Mas, atualmente, haverá mudanças no planejamento.

Postura santista irrita o Flamengo

Bruno Henrique durante jogo do Santos

Postura do Santos na negociação por Bruno Henrique irritou os rubro-negros (Foto: Divulgação | Santos)

Assim como Arrascaeta, Bruno Henrique foi liberado para procurar um novo clube no fim de 2018. Então, após inúmeras conversas, chegou a proposta do Flamengo e tudo ficou muito bem alinhado. Mas a chegada de Jorge Sampaoli mudou tudo. O treinador pediu para que a diretoria segurasse o atleta. Diante do pedido, Santos viu uma oportunidade de valorizar a negociação. Por isso, o clube paulista começou a exigir mais dinheiro e jogadores.

A postura rubro-negra sempre foi de muita permissividade. A maioria das exigências sempre foram aceitas sem maiores problemas. Mas o Santos continuou a “crescer o olho”. Então, no momento final da negociação, o clube não aceitava os termos e pedia mais. Por fim, a postura irritou os rubro-negros. Agora, a pressão por uma negociação está nas mãos santistas que precisa fazer caixa. Por outro lado, há uma insatisfação de Sampaoli com o atraso na montagem do elenco. Enfim, os alvinegros vão ter que buscar uma solução para o ambiente que os mesmos criaram.

“Sobre a realidade do futebol, é um grande negócio. Muitos querem sair de onde estão por dinheiro. Bruno Henrique, como todos os outros, são tentados para ir a outro lugar e se perde um pouco a essência de sentir pelo escudo, a vontade de jogar por jogar. De desfrutar do jogo. Se tem a possibilidade de ir, depende do clube. Eu queria que ele ficasse, nos daria a qualidade que reclamamos sobre a qualidade que a camisa do Santos merece. A camisa do Santos não pode ser colocada por qualquer um” – declarou Jorge Sampaoli, sobre a possibilidade de perder Bruno Henrique.

Cruzeiro resiste por Dedé

Apesar da insistência do Fla, Dedé fica no Cruzeiro (Foto: Twitter/Cruzeiro)

“… o mesmo também vale para o Dedé”. Assim como Bruno Henrique, Flamengo também declarou desistência na busca por Dedé. Mas, diferentemente do Santos, Cruzeiro sempre deixou claro que não queria se desfazer do defensor. Por isso, a negociação sempre batia e voltava. Aliás, no último momento, todas as partes estavam alinhadas – Flamengo; investidores e jogador. No entanto, a proposta ao chegar no clube mineiro foi prontamente negada. Enfim, os rubro-negros cansaram de secar gelo e vão em busca de novas opções no mercado.

 

SIGAM NOSSO SETORISTA NO TWITTER: @JORGEABELJOR  

 

Poder de arrecadação do Fla aumenta e causa preocupação nos rivais