De volta! Fellipe Bastos é apresentado no Vasco pela terceira vez

Allan Leibovici

, Vasco

No programa “Fantástico”, da TV Globo, quando um jogador faz três gols no mesmo jogo, pode pedir uma música. No caso de Fellipe Bastos, será que a terceira vez sendo apresentado pelo mesmo time, também poderia? Neste sábado, o jogador vestiu mais uma vez a camisa do Vasco.

Emprestado pelo Corinthians por uma temporada, na qual o alvinegro paulista irá arcar com 70% do seu salário, Fellipe afirma que volta mais maduro e experiente, após rodar por diversos clubes.

“Estou muito feliz mesmo de voltar, aceitei assim que surgiu a oportunidade. Estou voltando para casa, mais maduro e experiente. É um desafio muito grande, mas estou muito preparado”, disse o volante, que estava no Sport.

As cobranças na Colina não serão novidades para ele, que, inclusive, chega com uma certa desconfiança por parte da torcida. Por isso, em seu anúncio nas redes sociais, o Vasco utilizou uma bandeira branca, símbolo da paz, para que a torcida “pegue leve”.

“Eu venho já sabendo como é o clube. É minha terceira passagem. Volto mais experiente, mais rodado, com aprendizado a mais. Espero colocar isso em campo com muito trabalho. Sei dos desafios e das cobranças e espero corresponder para fazer um bom ano”, completou.

Uma passagem boa e outra não

Antes de retornar pela terceira vez, o jogador atuou pelo Vasco de 2010 a 2012, tendo conquistado a Copa do Brasil de 2011, e depois, novamente, em 2014. Somadas as duas passagens, foram 141 jogos e 14 gols com a camisa cruzmaltina.

Com a conquista da Copa do Brasil, atuação de destaque na Libertadores de 2012, quando o clube foi eliminado pelo Corinthians (no histórico jogo em que Diego Souza tem um chute defendido por Cássio), a primeira vez de Fellipe Bastos no Vasco foi marcante. Com chutes potentes de fora da área, ele tinha o carinho da torcida.

Fellipe Bastos comemora gol com Alecsandro, em 2011 ( Foto: Divulgação | Vasco )

“Em 2011 a tínhamos quase a mesma coisa de reformulação, elenco. Espero que façamos um grupo forte novamente. O diferencial daquele era ser uma família, sentíamos a dor do outro”, explica ele.

Na segunda passagem, no entanto, o destaque não foi o mesmo. Por isso, a desconfiança do torcedor é bem nítida.

No clássico contra o Flamengo, em sua segunda passagem ( Foto: Divulgação | Vasco )

“Aquilo que a gente faz em campo, a torcida sente e cobra. Já fui aplaudido e vaiado aqui. Ganhei títulos e perdi. Venho mais maduro quanto às responsabilidades. Tenho que corresponder com muito empenho que o torcedor vai vir para o meu lado com certeza”, completou.

Lateral-direita com reforços

O Vasco apresentou n última sexta-feira (04) mais dois reforços para a temporada de 2019. Raúl Cáceres e Cláudio Winck vestiram a camisa vascaína e firmaram contrato até dezembro. Ambos são laterais-direito e vão brigar pela titularidade. O primeiro é paraguaio e chega após se destacar nos últimos anos pelo Cerro Porteño. O outro foi cedido pelo Internacional, após ter sido emprestado em 2018 para o Sport. Em diversos contatos com a reportagem do Esporte 24 Horas, Raúl Cáceres se mostrou muito entusiasmado em defender o Vasco. Agora como jogador Cruzmaltino, o paraguaio não escondeu a felicidade pelo acerto.

“A sensação de vestir essa camisa é única, porque é um clube muito grande. Era um sonho que eu tinha de vir jogar no Brasil. Agora, é esperar por uma oportunidade de jogar e mostrar porque estou aqui”.

Já Winck, sobrinho de Luis Carlos Winck, campeão brasileiro em 89, falou de suas características.

“Sempre fui muito ofensivo, mas eu procuro buscar o equilíbrio. Vai ser uma disputa sadia. O Raul é um excelente jogador e quanto mais jogadores de qualidade melhor vai ser o nosso ano. Eu também jogo na linha da frente, então quem sabe podemos jogar juntos. O que o professor pedir eu vou fazer. Quero ter uma sequência, que acho que vou conseguir mostrar um bom futebol”.

 

Empresário de Diego Souza dispara: “ele vai ficar onde está”