Crise financeira, risco de rebaixamento e desmanche: a retrospectiva do Fluminense em 2018

Perdendo peças importantes, lidando com uma grave crise financeira e brigando contra o rebaixamento, Fluminense vive ano caótico. A temporada de 2018 não estará na memória do torcedor do Fluminense de uma forma positiva. Afinal, os graves problemas que atingiram o Tricolor dentro e fora das quatro linhas geraram incômodo e revolta na torcida. Apesar de ter chegado às semifinais da Copa Sul-Americana, a luta contra o rebaixamento até a última rodada do Brasileirão, a eliminação precoce da Copa do Brasil e os atrasos de salário fizeram com que muitos tricolores pedissem o impeachment do presidente do clube, Pedro Abad.

Pedro chama a responsabilidade, mas Flu cai no Carioca

Pedro em ação pelo Fluminense

Pedro foi destaque do Fluminense no Campeonato Carioca (Foto: Lucas Merçon | Fluminense)

Sem Henrique Dourado e Gustavo Scarpa, mas ainda com Abel Braga no comando, o Fluminense entrou no Campeonato Carioca de 2018 buscando uma identidade para o time. Logo depois de perder seus dois principais jogadores, coube a Pedro chamar a responsabilidade. E o garoto não decepcionou. Com sete gols, a promessa de 21 anos garantiu a artilharia do Estadual.

Entretanto, a fase artilheira de Pedro não garantiu muito ao Fluminense no Campeonato Carioca. Apesar de ter vencido a Taça Rio, o Tricolor caiu para o Vasco, nas semifinais do Estadual. Mesmo que tivesse a vantagem do empate, a equipe viu Fabrício marcar o gol da vitória cruzmaltina, por 3 a 2, dando adeus às chances de título.

Queda precoce na Copa do Brasil acende alerta

Ayrton Lucas em ação pelo Fluminense

A derrota para o Avaí foi mais um fracasso colecionado pelo Fluminense em 2018 (Foto: Lucas Merçon | Fluminense)

Em meio a problemas financeiros, o Fluminense via na Copa do Brasil uma oportunidade de fazer caixa. Afinal, a competição deu o maior valor em premiação na história, nesta temporada. Mas o Tricolor não contava com a astúcia do Avaí. Logo depois de eliminar a Caldense-MG e o Salgueiro-PE nas fases iniciais, a equipe tinha o Leão da Ilha pela frente.

Mesmo que fosse favorito à classificação, o Fluminense conseguiu perder por 2 a 1, em pleno Maracanã, para o Avaí. Com direito a gol do ex-tricolor André Moritz. No jogo de volta, Lourenço fez o gol do Leão da Ilha e sacramentou a eliminação da equipe carioca. A queda precoce colocou fogo no pavio da crise que estava prestes a explodir.

Sem o artilheiro, Fluminense sofre no Brasileiro

Pedro caído no gramado do Mineirão

Na partida contra o Cruzeiro, Pedro sofreu a lesão que o tirou de combate (Foto: Lucas Merçon | Fluminense)

Mesmo que a queda na Copa do Brasil incomodasse a torcida, o momento de Pedro empolgava. Com sete gols no ano até então, o atacante parecia ser o nome certo para fazer o Fluminense sonhar com voos mais altos no Brasileirão. E o centroavante, novamente, respondeu às expectativas.

Fazendo um primeiro turno acima da média, Pedro foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro enquanto esteve em campo. Com 10 gols, o atacante chamou a atenção de Tite, que o convocou para a Seleção Brasileira. Entretanto, o conto de fadas se rompeu juntamente com o ligamento do joelho direito de Pedro. Desde então, o atacante não entra mais em campo. Além disso, Abel Braga deixou a equipe durante a pausa para a Copa do Mundo, reclamando da política de contratações do clube.

Sem seu homem-gol e sob o comando de Marcelo Oliveira, o Fluminense começou a ter problemas para marcar gols. Ainda assim, a equipe conseguiu chegar até a 31ª rodada do Campeonato Brasileiro com chances de classificação para a Libertadores. Mas, com a reta final do Brasileirão, as coisas saíram do controle. A equipe chegou há sete jogos sem vencer no torneio. Além disso, ficou 13 horas e 19 minutos sem marcar gols: o maior jejum da história do clube.

Os problemas dentro de campo jogaram ainda mais fogo na crise financeira do Fluminense. A equipe chegou a dever dois meses de salários e cinco de direitos de imagem. Os problemas geraram protestos da torcida que pediam a demissão de Marcelo Oliveira e o impeachment de Pedro Abad. O técnico caiu três dias antes da última rodada do Brasileirão. Com o auxiliar Fábio Moreno no comando, o Tricolor bateu o América-MG, por 1 a 0, e se manteve na elite. Além disso, o Fluminense ainda se garantiu na Copa Sul-Americana de 2019.

Sul-Americana empolga, mas derrota para o Furacão joga gasolina na crise

Marcos Júnior, Sornoza e Digão em ação pelo Fluminense

A eliminação na Copa Sul-Americana foi mais um vexame do Fluminense em 2018 (Foto: Lucas Merçon | Fluminense)

Na Copa Sul-Americana, o Fluminense viveu os melhores momentos na temporada. A equipe chegou até as semifinais da competição continental, logo depois de eliminar Nacional Potosí-BOL, Defensor Sporting-URU, Deportivo Cuenca-EQU e a tradicional equipe do Nacional-URU. Com boas atuações de Sornoza, Luciano e Everaldo, os torcedores acreditavam numa possível classificação às finais.

Entretanto, o Atlético-PR deu um choque de realidade no Fluminense. Tecnicamente superior e taticamente mais organizado, o Furacão dominou os dois jogos das semifinais e venceu o Tricolor, por 2 a 0, na Arena da Baixada e no Maracanã. A eliminação aumentou ainda mais a instabilidade da equipe.

Agora, o Fluminense tenta lidar com o desmanche. Com as saídas de Richard, Gum, Ayrton Lucas e Marcos Júnior, o Tricolor busca por opções mais baratas no mercado. Além disso, a equipe ainda pode perder Júlio César, Digão, Gilberto e outras peças importantes do elenco. O ano de 2019 para o Fluminense parece ser incerto.

Preparador exalta goleiros do Fluminense